quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Mulheres

Ok, mulheres, podem me bater.................mas essa é para vocês! E o objetivo é a sua proteção!
Desde a década de 60 as mulheres vêm conquistando significativos espaços no mundo corporativo. Isso é altamente positivo e justo, sem qualquer sombra de dúvida. Mas existem situações do mundo, vide notícia abaixo, independentemente do olhar temporal, seja no passado, presente ou – arrisco dizer – no futuro, em que as mulheres deveriam se precaver, pensar e pesar todas as nuances antes de aceitar se envolver profissionalmente.
O envio da correspondente da emissora CBS ao Egito foi uma decisão temerária desde o primeiro minuto. Uma área de guerra não é exatamente o melhor lugar para a permanência de uma mulher, ainda mais num país onde existem radicais islâmicos e que se defrontava em confrontos violentos diários.
O que aconteceu com a repórter foi motivado, em primeiro lugar, pela incompetência da própria empresa de comunicação CBS em proteger a sua funcionária. Ela não deveria estar no epicentro da revolta, como se estivesse passeando nas ruas seguras de um bairro elegante de Nova Iorque. A empresa CBS é culpada, em parte, pelo atentado que a repórter sofreu!
Estou escrevendo isso porque nesse exato momento, guardadas as devidas proporções, o governador Sérgio Cabral acaba de nomear para chefiar a polícia civil do Rio de Janeiro uma experiente delegada de polícia, justamente num momento crítico e de grande tensão, quando parte da polícia civil vai sendo presa pela Polícia Federal, sob a acusação de tráfico de drogas, tráfico de armas, assassinatos e outros diversos crimes.
Não estou duvidando da experiência da delegada de polícia, cujos serviços ao Estado já alcançam 27 anos, mas o grave momento por que passa a instituição policial é o prenúncio de uma verdadeira guerra nos bastidores da polícia, com grandes chances dessa situação extrapolar os ânimos e desencadear em violência generalizada.
Creio que a solução para a atual situação nos meandros policiais cariocas está mais para a liderança de quem usa calças masculinas..............










Publicado em: 15/02/2011 20:28

Correspondente de emissora estadunidense teria sido violentada no Egito
Redação Portal IMPRENSA
A correspondente da emissora americana CBS, Lara Logan, teria sido vítima de agressão e violência sexual enquanto cobria a celebração pela queda do presidente Hosni Mubarak, na última sexta-feira (11), na cidade do Cairo, capital do Egito.

Divulgação CBS News

Lara em praça no Egito
"No meio da multidão, ela foi separada da equipe. Foi cercada e sofreu um brutal ataque sexual e espancamento antes de ter sido salva por um grupo de mulheres e cerca de 20 soldados egípcios", diz a nota da emissora, segundo informa a agência AP.

De acordo com o comunicado, um grupo de 200 pessoas em meio à festa cercou a equipe, que produzia reportagem para o programa "60 Minutes".

A nota diz, ainda, que a correspondente entrou em contato com a emissora, retornou ao hotel e aos Estados Unidos no primeiro voo na manhã seguinte. "Ela está agora em um hospital se recuperando".

"Não haverá outros comentários da CBS e a correspondente Logan e sua família respeitosamente pedem privacidade neste momento", diz o texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário